quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Morre Brasileiro Vítima de Explosão por Vazamento de Gás na Bolivia

 Morre vítima de vazamento de gás na Bolivia.
José Antonio Francisco Da Costa, um estudante de 22 anos, Unitepc carreira de Medicina, estava na cama quando uma explosão abalou sua ambientes alugado distrito Huanuni de Cochabamba.

O jovem Antonio estava deitado em um dos três quartos do apartamento em que mora no distrito de Huanuni em Cochabamba - Bolívia, a explosão foi tão grande que atingiu vários móveis do quarto, inclusive um computador e a toda a cama em que o jovem estava deitado, desesperado Antonio correu para o banheiro na tentativa de apagar as chamas em seu corpo, o apartamento estava com as portas fechadas, ao ouvirem o barulho da explosão, amigos que moram ao lado, tiveram que arrombar a porta e já encontraram o jovem caído no chão do banheiro praticamente desmaiado e com dificuldades na respiração.

Um incêndio flash para a cama onde Antonio trabalhava em seu computador tipo laptop. O fogo tomou conta do aluno e ele, desesperado para apagar as chamas, correu para o banheiro em busca de água. O Apartamento de 3 quartos ocupando o jovem brasileiro estava fechado e teve que forçar a porta para ajudá-lo. Ele foi encontrado deitado no chão do banheiro, quase sem respirar.

Antonio Da Costa foi levado para a clínica onde foi estabilizado Aranjuez por médicos e, em seguida, encaminhados para tratamento intensivo. Bombeiros explicou que um vazamento de gás, garrafa da cozinha, feito departamento todo o gás de enchimento e uma faísca provocou a explosão (explosão). O vidro explodiu, a cama, o laptop eo corpo discente queimado por alguns minutos. O especialista no cuidado de pacientes com queimaduras, Oscar Romero, veio o telefonema da clínica, examinou a vítima e confirmou que ele tem 95 por cento de seu corpo queimado. Só os órgãos genitais e as solas dos pés estão livres de lesões.

O estudante sofreu queimaduras de terceiro grau, muito profundo. Três de seus primos veio à clínica para ver se eles poderiam levá-lo para o Brasil. Romero disse que a gravidade do caso é a mesma em qualquer lugar do mundo, e ninguém pode garantir a sua recuperação.

Leia o Artigo Completo

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Dilma assina em junho decreto para contratar médicos estrangeiros para trabalhar no interior do país


Dilma assina em junho decreto para contratar médicos estrangeiros para trabalhar no interior do país
TERESINA — A presidente Dilma Rousseff vai autorizar a contratação de médicos estrangeiros para atuarem no interior do país. A informação foi divulgada pela ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti, durante participação no Encontro Estadual com Novos Prefeitos e Prefeituras, nesta terça-feira, em Teresina. Ela declarou que no Piauí, por uma orientação equivocada, poucas administrações municipais aderiram ao Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab).
O decreto será assinado em junho e os médicos estrangeiros serão pagos pelo Ministério da Saúde. Ideli Salvatti falou que atualmente os prefeitos pagam de R$ 25 mil a R$ 30 mil para um médico no interior do país, mas, mesmo assim, não encontram profissionais para as comunidades de menor perspectiva profissional para eles.
— Está muito difícil conseguir médicos que queiram atuar no interior do país. Por isso, a presidente resolveu adotar a medida para que médicos estrangeiros venham para cá. Além disso, é uma forma de reduzir o custeio dos prefeitos, já que o Ministério da Saúde irá pagar os benefícios desses médicos — afirmou Ideli.
O governo federal encontrou dificuldades para que as prefeituras do interior do país aderissem ao Provab. O programa oferece curso de pós-graduação em Saúde da Família, e uma bolsa mensal do governo federal no valor de R$ 8 mil durante um ano. Neste ano, o Provab recebeu 4.392 médicos nos serviços de atenção básica de saúde em 1.407 municípios.
O Nordeste absorveu a maior parte com 2.494 profissionais para trabalhar em 696 municípios. No Sudeste, foram 1.018 em 357 cidades. O Sul concentrou 370 médicos em 169 localidades. Para o Centro-Oeste, 269 para 101 municípios, e o Norte com 241 profissionais, que atuam em 84 regiões. O Piauí, que tem uma grande demanda por médicos no interior, recebeu 131 médicos do programa para apenas 51 dos 224 municípios do Estado.
— Muitos municípios não aderiram ao Provab. Eu não sei quem deu a orientação equivocada, mas a maior parte dos municípios não aderiu, e nós vamos pedir ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, se há possibilidade de reabrir o Provab novamente — comentou a ministra.
O decreto da presidente Dilma Rousseff permitirá ao Ministério da Saúde contratar, por um período, ainda a ser definido, médicos de todos os países. Entretanto, a maior demanda deve ser de profissionais vindos da Espanha e Portugal. De acordo com o Ministério da Saúde, já existe uma grande procura deles por causa da crise financeira europeia.
Ministra comenta vaias a Dilma
A ministra Ideli Salvatti afirmou que as vaias dirigidas a presidente Dilma Rousseff na segunda-feira não está relacionada a popularidade, mas que se trata sim de uma questão específica e local de grande agricultores contra a demarcação de terras indígenas.
— Faz parte da democracia. Nós temos no Mato Grosso do Sul uma disputa de agricultores, principalmente grandes agricultores, na questão da demarcação das áreas indígenas. É um problema específico e local. Um dos lados insatisfeitos se manifestou e a presidente recebeu isso com grande tranquilidade porque é da democracia brasileira.
Dilma foi vaiada por centenas de produtores rurais durante um evento em Campo Grande. Na ocasião, a presidente entregou 300 ônibus escolares a 78 municípios do Mato Grosso do Sul.

Leia o Artigo Completo

Validação de diploma de Medicina no Brasil pode mudar


Validação de diploma de Medicina no Brasil pode mudar
Uma nova alternativa para facilitar a validação de diplomas de Medicina obtidos no exterior está em discussão no governo. A ideia é alterar a metodologia do Revalida, exame exigido de profissionais interessados em trabalhar no País. Pela proposta, a definição do padrão de dificuldade das questões, hoje atribuição de professores e médicos, passaria a ser feita por alunos no fim do curso.

Defensores da mudança afirmam que a medida tornaria o exame mais justo. "Não faz sentido aplicar uma prova mais difícil para médicos que se formam no exterior. O padrão tem de ser o mesmo", afirma o deputado Rogério Carvalho (PT-SE), que acompanha as discussões.

O número de brasileiros interessados em validar o diploma no Brasil deve crescer. Depois de Bolívia e Cuba, a Argentina é o novo destino de estudantes que desejam cursar Medicina mas não conseguem vaga em uma universidade pública e não têm recursos para pagar um curso particular, cuja mensalidade custa, em média, R$ 5 mil.

A possibilidade de revalidação automática de diplomas estrangeiros, desde que a instituição de ensino seja de excelência, voltará a ser tema de audiência pública no Senado. A proposta de mudança (PLS 399/2011), que prevê a elaboração de uma lista de cursos e instituições de alto nível, já foi debatida em abril de 2012, quando recebeu apoio de senadores e especialistas. A nova audiência deve ocorrer ainda neste primeiro semestre de 2013.

O projeto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9.394/1996) para instituir que o reconhecimento de diplomas de cursos de instituições de ensino superior estrangeiras serão automáticos, desde que a instituição de origem do diploma tenha “reconhecida excelência acadêmica”. A proposta também estabelece que o Poder Público divulgará, periodicamente, a lista de cursos e instituições estrangeiros que poderão ter seus diplomas reconhecidos automaticamente no Brasil.

Do senador Roberto Requião (PMDB-PR), o projeto tramita na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), sob a relatoria do senador Cristovam Buarque (PDT-DF). O relator apresentou parecer pela aprovação da matéria, com duas emendas suas, e acolheu parcialmente emenda do senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). A audiência pública foi requerida pela senadora Ana Amélia (PP-RS) e a data ainda será agendada. Se aprovada na CRE, a proposta seguirá para análise da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), em decisão terminativa.

Para o autor do projeto, a medida é importante em virtude do aumento de brasileiros que cursam graduação e pós-graduação em instituições estrangeiras. Requião afirma que o reconhecimento desses diplomas fica a cargo atualmente das universidades brasileiras, cada uma com processos e mecanismos próprios para a revalidação.

“São frequentes os relatos de processos excessivamente caros, pouco transparentes, demorados e arbitrários, que resultam, não raro, em prejuízo a estudantes de destaque e na negativa do reconhecimento ou revalidação de estudos realizados em cursos de universidades de excelência acadêmica internacionalmente reconhecida”, acrescenta Requião na justificação do projeto.

Cristovam acrescentou ao texto a previsão para que diplomas adquiridos antes da vigência desse novo instrumento legal também sejam beneficiados com o reconhecimento automático, desde que se originem de instituições da lista de “excelência acadêmica” divulgada pelo poder público. Cristovam também sugere que a primeira lista só seja divulgada doze meses após a publicação da lei.

O relator afirma em seu parecer que a revalidação automática de diplomas expedidos por instituições de ensino superior estrangeiras “é medida há muito aguardada por grande número de estudantes brasileiros que buscam diversificar sua formação profissional, acadêmica e cultural”.

Fonte: Agência Senado

Leia o Artigo Completo

domingo, 25 de novembro de 2012

Brasil vai facilitar a entrada de médicos espanhóis e portugueses



Brasil vai importar médicos espanhóis e portugueses
O Brasil vai facilitar a entrada de médicos espanhóis e portugueses para responder à necessidade urgente no setor no país, o que passa pela agilização dos processos de equivalências. A contratação de profissionais estrangeiros é positiva para o país - que tem hoje um índice de 1,8 médicos por cada 1000 habitantes, mas o objetivo do Governo é passar para 2,5 médicos por habitante -, e pode ser uma saída para licenciados portugueses e espanhóis.

O tema foi discutido na reunião entre ministros brasileiros e espanhóis que se realizou ontem em Espanha, paralela ao encontro que Dilma Rousseff  teve com o primeiro-ministro Mariano Rajoy. Na visita de cinco dias a Espanha, a Presidente brasileira foi assediada com propostas de negócios bilaterais, tendo sido recebida também pelo rei Juan Carlos, com quem almoçou, encontro que foi o último ato público do monarca antes de se submeter a nova cirurgia na anca.

O próprio rei pediu a Rousseff para facilitar a emigração de espanhóis (de todas as áreas, não apenas médicos), medida que servirá para atenuar "as elevadas taxas de desemprego em Espanha", onde 50% dos jovens não têm trabalho. Ao mesmo tempo, Juan Carlos incentivou as empresas brasileiras e investirem em Espanha.

No passado domingo, em declarações a jornalistas brasileiros, em Madrid, o ministro da Educação do Brasil, Aloizio Mercadante, disse que a importação de médicos é uma das saídas vistas pelo Governo para dar resposta de imediato a uma necessidade premente no país. "Será sempre melhor opção formar mais médicos dentro do próprio país. Mas a licenciatura em Medicina leva seis anos, e o país tem deficiência de médicos. O Brasil está a atrair mão de obra qualificada, e isso interessa-nos", afirmou.

O Governo brasileiro está a criar 1600 vagas em faculdades de Medicina nas universidades federais, para a formação de novos médicos.

Rousseff critica austeridade e defende pacto de crescimento
No seu editorial publicado na edição online de hoje, sob o título "El empuje de Brasil", o jornal "El País" enaltece "a cooperação com o gigante americano (Brasil), afirmando que esta "é a chave da política externa de Espanha".

"As possibilidades de aumentar a cooperação bilateral - em ambas as direções e incluindo as PEMs (pequenas e médias empresas) - e de incrementar de forma notável a presença de profissionais espanhóis no Brasil são enormes. O país americano, sede dos próximos Jogos Olímpicos e do Mundial de Futebo, tem posto em marcha importantes projetos em infraestruturas, setor no qual as empresas espanholas são líderes. A grande penetração do idioma espanhol neste país de 196 milhões de habitantes é outros dos seus grandes atrativos".

Tanto em Madrid, como em Cádiz - onde participou no passado fim de semana na Cimeira Ibéro Americana-, a Presidente brasileira afirmou que o Brasil poderá contribuir para o crescimento da Europa, e voltou a fazer  críticas ao excesso de austeridade na Europa, acrescentando que o crescimento é fundamental para que a UE supere a crise.

No encontro com Rajoy, Rousseff assegurou que "a austeridade exagerada derrota-se a si mesma". Na sua viagem oficial a Espanha, depois da Cimeira de Cádiz, a mandatária defendeu a necessidade de um pacto de crescimento para evitar que o vírus da recessão se propague a mais países. Na sua opinião, "a retirada de direitos não pode ser  a única resposta para uma crise de dívida".

Entretanto, Portugal e Espanha têm pressionado o Brasil, de maneira formal e informal, para que flexibilize o reconhecimento de diplomas de médicos portugueses e espanhóis. O Brasil está a avaliar cerca de 900 equivalências. Em 2011, apenas 10%  dos diplomas avaliados foram aprovados.

Leia o Artigo Completo

terça-feira, 20 de novembro de 2012

CENSO 2012 Na Bolivia - Todos Brasileiros em Suas Casas!

CENSO 2012 Na Bolivia - Todos Brasileiros em Suas Casas
CENSO 2012 Na Bolivia : Nesta quarta-feira todos dentro de suas casas...
Entrevista com o CEO do INE, Ricardo Laruta. "O censo 2012 vai servir para um melhor planeamento sectorial, estaduais, municipais no país, é também saber quantos estrangeiros tem no país, seria recomendo todo os brasileiro esteja em dias com suas Documentações. O INE vai entregar todos os dados que estatística e coleta de informações. O INE quer sensibilizar o público para a importância da recolha de informação, pois esta informação servirá para nova reafectação de recursos. A população está informada sobre cada questão censo de 2012. Há outros países que usam a palavra religião. Estamos confiantes de que as pessoas vão responder ao censo. Não haverá sanções. "

Entrevista com o coordenador do censo de 2012, César Augusto Soliz. "O número de recenseadores são 230 000 e 174 000 não incluindo recenseadores. O trabalho dos recenseadores é voluntária, mas receberá uma diária de 20 bolivianos. Um mês antes de os entrevistadores vão treinar. A cédula é final e foi o resultado de um processo. Nada se sabe sobre o desenvolvimento econômico de um país, em termos de religião, de modo descartar essa pergunta. "


CENSO 2012 Na Bolivia - Todos Brasileiro em Suas Casas

Leia o Artigo Completo